Blog da Plaza Motors

Como um design, além de bonito, pode deixar meu carro mais seguro

Muitas pessoas podem estranhar quando se fala que o design pode despontar com perfeição em um produto que ao mesmo tempo é bonito e seguro. Isso porque o senso comum sobre o que “design” significa não corresponde exatamente ao que esse termo realmente quer dizer. Em um bem tão complexo como um automóvel, então, será possível alinhar a competência de seu maquinário com suas linhas estéticas?

No texto a seguir, vamos te ajudar a entender como um design influencia não só na beleza de um automóvel, mas também em sua segurança e otimização.

Como o design funciona

Antes de atacar o assunto de como o design pode – ou não – deixar um carro mais seguro e ao mesmo tempo mais bonito, é importante entender o que é que isso significa. O design envolve, na realidade, vários processos de desenvolvimento de produtos, o que significa que assuntos como o uso dos objetos, suas formas de produção, suas utilidades, além da qualidade formal e estética são inerentes a essa disciplina.

Dessa forma, é possível constatar que o design passa pela organização de todas as partes do planejamento de um objeto, conjecturando-se acerca das técnicas e dos materiais que serão empregados. Ou seja, essa disciplina não leva em conta apenas detalhes referentes à beleza do produto, mas ainda à sua funcionalidade e aos propósitos ambicionados para o mercado onde será introduzido para consumo.

Como o design se aplica ao carro

Visto que o design consagra várias disposições, ele constantemente fica ligado a outras áreas do conhecimento. No caso do setor automobilístico, os profissionais encarregados do design nunca trabalham sozinhos, mas sempre em conjunto com o pessoal da mecânica, da gestão de projetos, de funilaria, os eletricistas e muitos outros colaboradores, formando uma equipe de trabalho que age em conjunto para produzir o melhor dos produtos, conforme o perfil do público-alvo do modelo a ser produzido.

O processo é integrado desta maneira porque a menor alteração em um componente pode mudar muita coisa no interior do veículo. Quando um modelo de motor, por exemplo, precisa acomodar três cilindros ao invés de quatro, acompanhando as especificações de projeto, tal situação terá grande influência na configuração do restante das peças do sistema e também na aparência final do maquinário. Assim, a funcionalidade das peças precisa abraçar um excelente acabamento e aprumo estético para que tudo opere corretamente, garantindo a segurança, mas ao mesmo tempo gerando atração visual e encantamento nas pessoas.

Como o design pode ser bonito e seguro

A partir desses aspectos, que devem tão cuidadosamente ser trabalhados, muitas vezes nem chegamos a perceber onde o design está aplicado no automóvel. Olhamos, por exemplo, um painel com um jogo de iluminação que achamos belíssimo, tanto por sua combinação de cores quanto por sua intensidade visual, mas não nos damos conta de que talvez aquela disposição cromática sirva para criar atenção e estímulo no condutor. O formato e dimensão do volante, para se saber, são aspectos que obedecem demandas ergonômicas precisas do corpo humano.

O espaçamento entre volante e banco dianteiro, os contornos e volumes das peças internas e praticamente tudo no recesso da cabine é pensado para criar mais conforto e segurança para os passageiros, o que inevitavelmente alia também elementos estéticos e de acabamento. Os aspectos exteriores, como a distância entre as rodas, os elementos do motor e muito mais, são reflexo imediato da performance que se pretende imprimir no veículo, respeitando-se as exigências de segurança e sua configuração mecânica.

Daqui para frente, portanto, sempre que olhar para um carro na rua ou na sua garagem, nunca mais duvide que beleza e segurança andam de mãos dadas no design desse produto!

Como você percebia o design de seus carros antes deste texto? Já sabia que ele possuia tanta importância na segurança? Compartilhe seus comentários abaixo!