Blog da Plaza Motors

Farol alto x farol baixo: entenda as diferenças e use corretamente

 

Conduzir um carro é uma grande responsabilidade para todos os motoristas. Não é à toa que temos o código de trânsito e órgãos de fiscalização nessa área. E um dos assuntos que os condutores precisam ter atenção é quanto ao uso do farol alto e farol baixo.

Você sabe o que a legislação diz sobre eles e como utilizá-los corretamente? Essas informações são essenciais para que o condutor não leve multas ou se envolva em acidentes. Para esclarecer todas as dúvidas, leia nosso post!

 

 

Como funciona o farol alto e farol baixo?

Todos os carros são equipados com luzes de segurança. Os piscas e os faróis são as principais. Em geral, o acionamento delas se dá no mesmo local. Ao tirar levemente o farol do ponto de desligado, o motorista acende a chamada luz de posição ou lanterna.

Girando mais uma vez, será acionado o farol baixo. Já para ligar o farol alto há duas opções: uma acende apenas momentaneamente enquanto a outra mantém a luz alta acesa. Cada alternativa tem características próprias e deve ser usada em contextos específicos.

Em quais situações usar os faróis?

Para estar de acordo com o código de trânsito brasileiro e evitar problemas, você precisa entender em que momento utilizar cada opção da luz. O farol de posição, por exemplo, é utilizado apenas nos dias em que a neblina ou a chuva atrapalham a visibilidade dos motoristas.

Já o farol baixo deve ser usado durante a noite, para complementar a iluminação das ruas (se o carro estiver parado para embarque e desembarque, você pode manter somente a lanterna). Caso você precise passar por trechos sem luminosidade, a luz alta pode ser utilizada para trazer mais segurança na direção.

Entretanto, é preciso ter muito cuidado com isso. O farol alto atrapalha tanto os motoristas que estão na sua frente na via quanto, principalmente, aqueles que vêm na direção contrária. Por isso, ele deve ser acionado apenas quando houver necessidade (e desativado sempre que outro veículo estiver se aproximando).

Quais os riscos de usar de forma incorreta?

Além dos casos que já citamos, é preciso reforçar uma regra recente: a Lei 13.290/06 estabeleceu que todos os motoristas devem ligar o farol baixo ao passarem por túneis e rodovias durante o dia. Isso procura dar mais segurança a quem trafega nas estradas.

Para o Conselho Nacional de Trânsito (Contran), a iluminação dos veículos é um elemento de segurança, pois permite a visualização adequada para a realização de ações preventivas. Por isso, andar com alguma luz queimada ou não a utilizar corretamente traz riscos para todos.

Dirigir com o carro apagado dificulta que os outros motoristas ou pedestres percebam sua presença. Assim, aumenta o perigo de acidentes. De forma semelhante, andar com a luz alta ou com faróis de milha ligados pode ofuscar outras pessoas e também trazer riscos.

Portanto, para evitar multas ou acidentes, cumpra as regras de trânsito. Não se esqueça, ainda, da importância de ativar o pisca-alerta quando precisar parar o carro na via ou avisar outros motoristas sobre algum perigo.

Utilizar corretamente o farol alto e farol baixo é fundamental nas ruas brasileiras. O uso adequado das luzes evita prejuízos e oferece maior segurança, além de prevenir que você seja autuado por infringir a lei.

E então, este post foi útil? Aproveite a visita ao blog para ler sobre os 5 maus hábitos comuns de motoristas!