Blog da Plaza Motors

Tudo o que você precisa saber sobre o sistema de alarme do seu carro

Com o índice de furtos e roubos crescendo cada vez mais, se tornou comum a busca por maneiras cada vez mais sofisticadas para proteger o que é nosso. Casas com alarmes e códigos de segurança, carros com antifurtos, mochilas com senha, celulares com rastreadores, e por ai vai. Hoje vamos tratar de um tópico muito importante: o sistema de alarme do carro. Vamos destrinchar todas as minúcias desse item tão presente em nosso dia a dia, explicar seu funcionamento e algumas de suas vantagens. Ficou curioso? Vamos lá!

Como funciona o sistema de alarme

O sistema de alarme se resume a sensores ligados a um computador que, por sua vez, aciona uma sirene. Antigamente, os alarmes eram compostos quase que exclusivamente por um interruptor nas portas. Com isso, quando as portas eram abertas, soava o alarme. Entretanto, nos dias de hoje o sistema se tornou muito mais sofisticado. Confira abaixo os itens que compõe um sistema de alarme de carro atual:

  • Sensores de movimento;
  • Interruptores;
  • Sensores de pressão;
  • Sirene;
  • Um receptor de rádio (para comandos sem fio a partir de um chaveiro ou celular);
  • Bateria auxiliar (para que ele continue funcionando, mesmo que a bateria principal seja desconectada ou descarregue);
  • Um centro que controla tudo isso e soa o alarme quando qualquer um desses itens detecta algo anormal.

Entendendo a instalação

Existe um padrão na forma como os itens são instalados, entretanto esse padrão pode variar de acordo com o fabricante de cada veículo, o que não significa que exista um padrão melhor do que o outro, sendo todos eles igualmente eficientes. O sistema de alarme e todos os seus componentes são normalmente ligados à bateria principal, mas caso ocorra algum problema com essa fonte de energia, a maioria dos alarmes possuí uma fonte de energia própria que o sustenta por um bom tempo até que o problema seja resolvido.

Os diversos sensores

O sensor de porta é o que está contido em todos os sistemas de alarme por ser o mais barato e fácil de ser instalado. Mas vale lembrar que, sozinho, ele está longe de ser o mais seguro. O mais interessante, portanto, é combiná-lo com outros sensores para aumentar a sua eficiência.

O segundo item mais comum nos sistemas de alarme é o sensor de movimento, que, como o próprio nome já diz, detecta movimentos no interior do veículo, e, caso o alarme esteja acionado, ele fará com que a sirene soe. Esses sensores juntamente ao sensor de porta, já garantem um nível de segurança mais alto para o veículo, mas para que o alarme de fato alcance a eficiência máxima proposta, o ideal é que ele também conte com um sensor de choque.

O sensor de choque, quando acionado, é capaz de detectar qualquer impacto no veículo, seja nos vidros, na carroceria ou no capô, tornando, então, impossível adentrar no veículo sem que antes ele dispare.

Sistemas de alarme são, por vezes, os itens de segurança mais comuns nos veículos e ter um sistema completo pode ser a sua garantia para manter o seu veículo sempre em segurança. Você ainda tem alguma dúvida sobre o sistema de alarme? Não de escrever para nós através dos comentários!